quinta-feira, 25 de março de 2010

O segredo revelado, ou quase

Estou cada vez mais com nojo de mim, sinto cada vez mais a necessidade de emagrecer. Olhar para meu corpo dói, e ver os números na balança que não abaixam mais ainda.

Eu não miava todos os dias, geralmente só nos finais de semana. Hoje em dia, mio pelo menos uma vez no dia, quando chego da aula. Vou dormir exausta, e acordo com a cara péssima.

Eu achava que estava enganando alguém, achava que conseguia esconder muito bem - até domingo.
Aos poucos devo ter indo relaxando nos cuidados em ser mais reservada, já que possuo um banheiro em meu quarto. Nesse dia, estava miando com a porta do banheiro aberta, e a do quarto encostada. Bem no momento minha mãe pergunta da porta do quarto se estava passando mal. "Não mãe!" "Então você está vomitando!"
Na hora realmente não sabia o que responder, e disse que estava com ânsia e comecei a enrolar perguntando se ela sabia o que era refluxo que eu estava tendo e tal.. "Sei não, você está vomitando e não é de hoje que eu estou percebendo, seu pai também já viu que depois de comer você se tranca no quarto, até seu irmão já escutou, você sabe o nome disso?? É bulimia, depois vamos ter uma conversa séria". (ahhh muito obrigada por me informar!)
Como pude ser tão idiota? Como pude achar que estava escondendo tão bem um fato desses?

Desconversei, lavei a cara, respirei fundo, e desci. Meu pai estava na sala alheio (ou não) a tudo, enrolei um pouco, e decidi que não ia esperar ansiosamente pela tal 'conversa'. Coloquei minha máscara (não pela última vez) e subi para o quarto dela. Puxei qualquer assunto como se nada tivesse acontecido, na maior naturalidade, esperando que ela puxasse o assunto.
Ela puxa, começa a falar, e eu começo a convence-la que andava tendo refluxo depois de comer, (e que tenho mesmo, a comida chega a voltar numa espécie de arroto) e que andava sentindo umas azias. falei muito tranquilamente, rindo, em tom descontraído, dizendo a ela que até parece mesmo que eu ia provocar vômito, e ela me dizendo, "logo você que odeia vomitar", "eu não podia acreditar que a Anna Thin estava entrando nessa", "sempre muito magra".

Lógico, de novo a filha perfeita que faz tudo certo, não pode ter nenhum defeito, não pode errar. Ficamos conversando ela em tom meio preocupado, que por fim pareceu convencer-se, disse que tínhamos que ver isso, marcar um médico e tals. Eu, "ok", aceitei e fui dormir.
Nos dias seguintes, como se nada tivesse acontecido, ainda miei depois da faculdade, mais com mais cautela, e ontem ela me disse que meu pai ia marcar médico.

Se querem saber não estou nem um pouco preocupada, até estava mesmo a fim de ir num médico, mais o meu medo é ele perguntar e descobrir sobre a mia. Afinal, problemas gástricos causados por ela, são iguais aos que pessoas normais sem miar tem..

Sabe, eu sempre tento ver o lado bom das coisas, por pior que pareça. Isso pramim está servindo de lição, e de ajuda pra ver se começo a miar menos, me controlar mais.
Minha mãe já teve depressão, vira e mexe ela tem recaídas, meu pai também, eu não quero mesmo dar mais essa preocupação a eles. Não quero ser motivo de desconfiança, não quero decepciona-los.
Se for preciso esse fds comer algo na frente deles, eu juro, com o coração partido, gritando por dentro, vou fazer um esforço, vou tentar reverter a situação. A desconfiança a partir de agora SEMPRE vai existir, e eu não posso ficar me dando ao luxo de despertá-la..

Deseje-me sorte e forças. quinta féria que vem é feriado aqui, ou seja, dia 01/04 vou para a praia com amigos. NECESSITO de uma dieta e emagrecimento de emergência plis.. Mais dói tanto essa sensação de que vou fracassar.. de novo..

terça-feira, 9 de março de 2010

Até quando?

Sábado a noite saí com meus amigos. Ri bastante, me diverto, bebi um pouco e distraí a cabeça.
Chegando em casa estava com um pouco de fome. Raro sentir isso. Na maioria das vezes o que tenho, é vontade mesmo de comer.
Depois de ter passado o dia praticamente a base de abacaxi, achei que um pouco de Leite quente (Nescau) não faria mal. Esquentei e tomei. BURRA! Na mesma hora a dor bateu na consciência.
Fui para meu quarto e miei quase sem esforço nenhum (geralmente bebidas quentes são muito fáceis para miar).
No dia seguinte minha mãe pergunta se na noite anterior estava passando mal, porque vomitei.
- Lógico que não mãe!
- Mais você vomitou não? Eu escutei..
- Vomitar? Até parece né..
- Então estou ouvindo coisas..

Não é a primeira vez que ela me pergunta se vomitei. Sempre nego, e não sei se ela acredita.
Preciso MESMO parar com essa vida! Não aguento mais essa fraqueza.
Geralmente tenho minhas pequenas compulsões a noite, quando chego de roles, ou da faculdade, e lá vou eu miar. Para dormir exausta, tarde da noite, acordar cansada, trabalhar com um aspecto horrível e ir para a faculdade morta no fim do dia. Isso não é vida!
A Ana Paula disse uma coisa no seu último post que faz muito sentido: É bem melhor passar a dor da fome, o sofrimento, do que miar.
Até porque isso é extremamente ridículo e imbecil não?

Estou sinceramente tentando fazer algo para mudar. Estou tentanto ficar a base de frutas, comendo pequenas porções de 3 em 3 horas, pra ver se esse metabolismo funciona.

Em abril muito provavelmente vou à praia com meus amigos. Por favor, cria vergonha nessa cara né dona Anna Thin!

Beijos a todas! Vamos tentar nos controlar mais!



Retrato
Eu não tinha este rosto de hoje,
Assim calmo, assim triste, assim magro,
Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,
Tão paradas e frias e mortas;
Eu não tinha este coração
Que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:-
Em que espelho ficou perdida A minha face?
Cecília Meireles